terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A gaveta das meias.

Joaquim e Maria eram casados há mais de 10 anos. Conheceram-se nos
bancos escolares e tinham por hábito implicarem um com o outro. Viviam
as turras até um dia se descobriram adolescentes apaixonados, adultos
enamorados e resolveram continuar a implicância numa confortável casa
com um belo jardim. Cão labrador levado e uma filharada da pesada.
Quinzinho era gordinho e Maria estava com uns quilinhos a mais, fora
dos padrões Gisele Bündchen....
Maria era uma dona de casa prendada, gostava de tudo nos seus devidos
lugares e por isso vivia correndo atrás da filharada, do doguinho
sapeca e das meias de Quinzinho que nunca as colocava na gaveta.
Seus amigos diziam - quem tem  uma família como a sua, não precisa de
academia. Os pesos estão ali bem ao alcance das suas mãos. Maria
sorria feliz e nem ligava para as provocações dos amigos.
Segunda - Feira.
Imaginem a cena - 6 horas da manhã - Maria está na cozinha preparando
o café para os 4 filhos e o marido quando o Zequinha - o primogênito -
sai
 do banheiro enrolado na toalha e diz:
- Papai enlouqueceu, tá lá no quarto chorando.
- Deixa de conversa menino! Vá se arrumar e apressa teus irmãos, o
ônibus passa às 7 em ponto. Depois irei ver teu pai. Acho que ele está
com saudade da Margarida. Ele amava aquela tartaruga e depois que ela
bateu as botas ficou meio apalermado.
Filhos no ônibus, adeuzinho para a mamãe, alívio até às 13 horas,
Maria vai ver o que o maridão tem.
Ao entrar no quarto leva um baita susto. A gaveta das meias estava
sobre a cama - Quinzinho tinha coleção de meias do Vasco que quase
nunca usava porque a molecada flamenguista o zoava quando ele punha
para caminhar chamando-o de vice-rei - e chorava lendo uma carta.
- O que foi meu amor, o que aconteceu? Perguntou apreensiva
- Você me traiu! Confesse! Eis aqui a prova do seu crime! - disse.
- Tá maluco, homem de Deus! Quem ama não trai. Eu sou louca por você!
- Sua mentirosa, você me traiu e anda me traindo com um talzinho.
Maria, diga logo mulher! Antes que eu faça uma besteira enquanto os
meninos estão na escola.
Maria caiu na gargalhada. Ria sem parar, foi ficando vermelha de tanto rir.
- E você, ainda ri? Como ousa?!
- Meu amor, onde você achou esta carta?
- Na gavetas das meias, por quê?
- Tá explicado, tudo explicado. Guardei a carta na gaveta errada, era
para ter guardado nas de calcinhas. Quinzinho, meu amor, fique calmo!
Leia a carta devagar e veja quem foi o remetente.
- Maria me respeite! Não provoque a minha ira.
- Leia, meu amor.
(...) deste que sonha em lhe fazer mulher e tornar a sua vida feliz
para sempre, Filezinho.
- Filezinho! Ei! filezinho era eu quando tinha 18 anos! Minha
Maricota, você guardou a nossa carta pecado de amor esses anos todos?!
- Sim, seu bobo, guardei porque te amo.
13 horas, os moleques chegam em casa e o almoço é hamburguer com
fritas e coca-cola, VIVA!!
Maria e Joaquim resolveram reler a carta bem juntinhos e....


Maria Luzia

Um comentário:

✿ chica disse...

ADOREI!!! E o danada nem lembrava.Precisou, mais uma vez, um toque da mulher... Lindo! beijos,chica