sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Recanto Perfumado capítulo 3

Ana e seus amigos aproveitam bastante da natureza, tiram fotos, tomam banho de cachoeira, fazem caminhadas, todos estão muito felizes.
Ana  não comenta que está ansiosa. Pedro chegaria á noite, queria vê-lo.
Com o entardecer chuvoso o melhor é ler, jogar cartas, conversarem.
- Se continuar essa chuva acho melhor irmos embora amanhã, o que vocês acham? Pergunta Márcia.
- Calma garota, o combinadado foi ficarmos até Domingo e depois logo a chuva passa, responde Gustavo.
- Concordamos com o Gustavo, respondem os outros e se espalham pela pousada, conversam com outros hóspedes. Ana permanece na varanda distraída com a chuva, adorando aquele momento envolvente que parece único, fecha os olhos...
- Também gosto muito da chuva....
- OI Pedro, não vi você chegar.
- Cheguei sem fazer barulho..está tudo bem? E os amigos?
- Ah,f izeram amizade com um grupo que chegou na quinta e estão jogando cartas, estamos bem.
- Que ótimo, posso lhe fazer um convite?
-Qual?
- Aceita jantar comigo hoje á noite, não aqui na pousada, podemos ir a um restaurante. Se aceitar ás 9 te espero, aqui mesmo.
- Se as 9 eu não estiver, é que não aceitei, tudo bem para você?
- Sim. Até as 9, despede-se sorrindo.
Jantar com Pedro...
- Não acredito que ainda está na dúvida, posso estar enganada mas seus olhos estão com um brilho...sei não...Márcia instiga a amiga.
- Não nego que ele me interessou...não desse jeito que você está insinuando.
- Não estou insinuando nada, boba medrosa..
Ás 9 Ana Clara chega á varanda, Pedro vem ao seu encontro.
- Vamos?
Ele a leva num restaurante acolhedor, luz suave, comida gostosa, conversa agradável , o clima fica envolvente. Quando se dá conta suas mãos estão entre as do Pedro que a convida a dançar. Aos poucos seu corpo sente o abraço daquele homem gentil que a conduz com leveza, aperta sua cintura suavemente, ela repousa sua cabeça em seus ombros, seus olho se encontram...lábios se juntam...beijam-se delicamente e..
Ana tenta se afastar, ele não deixa, acaricia seus cabelos.
- Ana, esperei tanto por esse momento. Pensei em você todos esses dias. Por favor, diz que está sendo bom para você, não quero que pense que estou me aproveitando da situação.
- Pedro..eu...
Beijam-se demoradamente..
Voltam á mesa, ele conta-lhe que é divorciado, 42 anos, publicitário que trocou a vida da cidade grande pela natureza, onde em sociedade com um amigo investiu na pousada e estava satisfeito com a troca. Mais ainda, por tê-la encontrado.
Ana, também divorciada, 34 anos, sem filhos, assistente social , mora sozinha na cidade grande, ama a naturereza.
A suavidade daquele momento transforma Pedro e Ana em namorados, que se olham com doçura, mãos entrelaçadas, beijos delicados, demorados...
-Pedro, é melhor voltarmos para a pousada, está ficando tarde e a chuva aumentou.
- Vamos ficar mais um pouquinho? A última dança senhorita, por favor!
Sorrindo se abraçam, dançam, beijam-se.
- Como saíremos daqui se o carro atolou, Pedro?
- Calma, assim que a chuva amenisar, pediremos ajuda.
- Ajuda  a quem, nessa estrada deserta?
- Conheço umas pessoas que moram nas redondezas, por favor fica calma.
- Nunca passei por uma situação dessas, estou sentindo frio.
- Coloca o meu casco, está no banco de trás.
- Ma você está todo molhado.
Pedro estava tentando desatolar o carro.
- Entre, esperemos a chuva dar uma trégua , tire essa camisa e coloque o casaco ou irá pegar uma pneumonia.
A chuva aumentara de intensidade, Pedro tira a camisa molhada, Ana pega o casaco, Pedro a abraça e beijam-se repetidas vezes, um calor intenso toma conta dos dois. Ana sente que precisa recuar, mas se entrega aos beijos de Pedro até que..
- Não, Pedro..
- Por que, Ana?
- Porque não quero que momentos de prazer estrague o que gostaria de lembrar com amor, com carinho. Você me entende?

- Sim, entendo, podemos esperar, você está certa.Vamos ver se esse rádio funciona ou prefere conversar ouvindo os pingos da chuva? Pergunta Pedro bem humorado
- Os pingos da chuva, sempre que ouví-los me lembrarei desse momento..de você.
Sendo assim...que venha a nossa trilha sonora!
Ana e Pedro conversam abraçados..o sono chega..adormecem..acordam com o dia nascendo..a chuva se fora.
Com a ajuda consegue desatolar o carro, chegam á pousada, todos dormem...
-Bom dia, Pedro á noite conversamos, tá?
- Descansa bem..até a noite.
Ao entrar no quarto...eita que a noite foi boa demais, isso são horas de chegar?! Sua amiga Márcia implica.
- Tivemos problemas com a chuva, o carro atolou..
- Humm...depois você me conta..tô dormindo..
Ana toma um banho e tenta dormir, não consegue, pensa em tudo que viveu..sorri feliz.
Sabado, o último dia deles na pousada, iriam embora no Domingo pela manhã.
- Você precisa mesmo ir amanhã. Não existe a possibilidade de ficar mais uns dias?
- Sim, Segunda volto ao trabalho.
-Quero continuar a te ver, não foge de mim promete?
- Prometo.
Passam o restante da noite namorando, conversando, trocam e-mails,  telefones...
Domingo de manhã..ele a acompanha até á saída da cidade..abraçam-se longamente...um beijo que parece não ter fim....
O amor estava de volta para Pedro e Ana.

Está gostando? Ainda não acabou...

Um comentário:

✿ chica disse...

E vamos acompanhando.Tá legal!beijos,chica